História do Arroz

O arroz é um dos cereais com mais história – primeiros indícios da cultura de arroz remetem-nos para cerca de dez mil anos no passado – e mais consumidos no planeta. Hoje, existem cerca de oito mil variedades de arroz, que constituem cerca de 50% da dieta de mais de 2 mil milhões de pessoas.

O cultivo regular do arroz terá tido Início na China, inicialmente de sequeiro e, mais tarde, do tipo alagado. Na Europa, o arroz só foi conhecido depois da expedição de Alexandre Magno à Índia. Originalmente, gregos e romanos atribuíram a denominação de “orysa” a este cereal, como provável associação a um dos maiores centros de colheita e exportação do mesmo à altura – a cidade de Orissa, na costa oriental da Índia –, onde existem pântanos e lagos, favoráveis ao cultivo da planta. No entanto, não se sabe se a cidade terá dado nome ao cereal, ou se o sucesso deste terá influenciado o nome da cidade.

O arroz chegou à Península Ibérica por volta do ano 711, aquando das conquistas árabes, e será precisamente graças ao idioma árabe que hoje damos este nome ao cereal, uma derivação do termo árabe “aruz”.

A cultura efetiva de arroz em Portugal terá sido implementada, de forma concreta, no reinado de D. Dinis, o Lavrador (1279-1325), ainda que destinado exclusivamente às famílias da nobreza. 400 anos mais tarde, no reinado de D. José, foi incentivada a produção de arroz em regiões junto aos estuários dos principais rios.

Na passagem para o século XX, a cultura de arroz circunscrevia-se aos vales do Tejo, Vouga, Mondego, Sado, Mira e Guadiana. Contudo, durante a primeira década do século, no seguimento de importantes alterações nas regras para gestão de terrenos e da água, a produção deste cereal viu um aumento exponencial, quer em quantidade, quer no número de variedades que foram surgindo no país, refletindo-se numa presença constante na alimentação dos portugueses.

Para regulamentar a produção e importação de arroz, foi estabelecida, em 1933, a Comissão Reguladora do Comércio do Arroz. Na mesma década, os níveis de produção conseguiram ultrapassar, mesmo, os níveis do consumo na população nacional.

Hoje, Portugal é o terceiro maior produtor e o maior consumidor de arroz, na Europa. São produzidas cerca de 160 mil toneladas de arroz por ano, no país, provenientes das zonas do Vale do Tejo e Sorraia, do Vale do Mondego e do Vale do Sado – aproximadamente, 25 mil hectares cultivados, na sua maioria, com arroz do tipo Carolino –, e consumidos cerca de 15 Kg per capita, por ano.

Desde 2008, o Arroz Carolino das Lezírias Ribatejanas IGP é um produto de origem portuguesa com Indicação Geográfica Protegida pela União Europeia.

 

Galeria brevemente disponível

 

Receitas brevemente disponíveis